CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
LÉO PAJEÚ
Poesias e Contos, Sentimentos e Versos, Sonhos e Visões de um Premonitor.
Textos


CAPÍTULO – VI
 
  O ATAQUE DOS NINJAS NEGROS
 
 
         A circulação de veículos pelas avenidas espremidas ainda sem pavimentação e esburacadas, com água escorrendo pelas ruas e lixos espalhados por todo lado de Vicente Pires caracterizava mais uma invasão no Distrito Federal.
          O movimento de pessoas na mansão naquele fim de tarde parecia discreto, quase ninguém entrava ou saia. Mais a paciência de Lucas era fundamental para sua investigação.
         A noite foi chegando levemente ao contrário do movimento de veículos que parecia que não ia acabar tão cedo, a mansão localizada naquele lugar parecia de propósito, havia alguns condomínios e como muita gente morando por ali ela passava por despercebida para muita gente.
         Um segurança chegou perto do portão e começou a olhar para um lado e para outro, como se procurasse algo ou estivesse conferindo se estava tudo em ordem. Em seguida chegou o primeiro carro, o segurança abriu o portão bem devagar e conferiu o motorista e o passageiro quando os vidros do veículo baixaram pela metade.
         Lucas escondido em um carro maltratado pelo tempo estacionado com parte na rua e parte na calçada ainda não existente, como todas as calçadas da nova cidade, observa tudo com cuidado, tinha sido alertado por Lin Zu sobre o perigo, pois Leonardo estava na jogada dos quiosques e a máfia chinesa.
         Após algum tempo a movimentação de veículos ficou mais frequente, Lucas aguardava a melhor hora para tentar entrar na mansão e descobrir o que estava acontecendo lá dentro.
         Quando tudo parecia mais calmo e fazia alguns minutos que não aparecia mais carros para entrar na mansão e a movimentação de veículos na rua ficou escassa, Lucas sai de o velho veículo, mas para não ariscar-se muito já chegou ao muro como Curiango.
         No escuro sua presença é quase nula, então sua entrada é facilitada pela sua blindagem natural. Seu corpo se adapta em qualquer ambiente camuflando-se sem que notem sua presença. Alguns seguranças circulavam pela mansão, algo ali era importante, pois tinha muito segurança.
         Ao se aproximar da sala que estavam a maioria dos convidados Curiango percebeu que o portão se abria mais uma vez, alguns seguranças correram para perto do veículo como se ali estivesse a pessoa mais importante da reunião.
         A porta do motorista abriu-se e prontamente o mesmo abriu a porta do passageiro do lado esquerdo do veículo, um passageiro esperado desceu Curiango agora tinha que se conter. Leonardo chegava como a pessoa mais importante da reunião, então ali tinha o dedo seu e de seu pai que estava emaranhado com tudo que era de errado que envolvesse dinheiro e poder.
           Curiango se conteve e aguardou o momento certo para agir se fosse o caso, camuflando-se bem perto da sala onde viu Leonardo chegar e cumprimentar todos os presentes, havia ali um grande coquetel, muita bebida e comida fina, tudo parecia de primeira linha. Algumas garotas com roupas curtas e sensuais serviam a todos expressando um sorriso forçado, alguns dos presentes as alisavam e pegavam em suas nádegas como se estivessem ali para servi-los de todas as formas.
          Leonardo chamou a atenção de todos e solicitou que um dos seguranças buscasse alguém. Após algum tempo o segurança chegou com um Chinês bem vestido e com dois outros também chineses que pareciam seus seguranças.
         Com um sorriso largo Leonardo os recebe e os apresentam para os demais. Curiango bem camuflado aguarda o desenrolar daquela reunião. Quando a conversa começa Curiango percebe que se trata do controle dos quiosques, condomínios, verbas do estado e de outras pretensões. A máfia queria sua parte e Leonardo querendo o poder absoluto fazia suas vontades, mas tratando de negócio ali tinha duas cobras venenosas, um querendo engolir a outra.
         Curiango prestando atenção à conversa da reunião não percebe que os seguranças soltam dos canis alguns cães, os pitbuis começam a vasculhar todos os cantos da extensa mansão e pelas suas manifestações percebe-se que estão farejando alguma coisa estranha por ali.
         Mesmo camuflado Curiango fica preocupado, pois os cães tem como descobrir onde ele se encontra. O latido dos cães chama atenção dos que estão presentes na reunião. Leonardo irritado ordena que o chefe da segurança tome providência e calem logo aqueles cães.
        Os cães não dão sossego e cerca o local que Curiango está escondido, os seguranças começam a observar, mas nada veem. O chefe dos seguranças chega e chama atenção fazendo com que segurem os cães e os afastem dali para não atrapalhar a reunião.
         Um dos cães arrasta o segurança que o segura e depois consegue se soltar avançado para a árvore que ornamenta o canto da parede que tem acesso a grande porta de correr de vidro que quando aberta as cortinas visualiza todo belo e bem cuidado quintal.
         Curiango vendo-se em perigo tenta mudar de posição chamando atenção de um segurança que percebe seu vulto e alerta que tem alguma coisa se movendo no local apontando com o dedo. Leonardo sente a presença de alguma coisa anormal e pede licença aos convidados, se retira da reunião juntando-se aos seguranças que cercam o pequeno ornamento de plantas decorativas do quintal da mansão.
         Mesmo camuflado Curiango sente que está em perigo, o cão sente sua presença e Leonardo agora com seus poderes também consegue localizá-lo quando quiser. O perigo ficou absoluto e Curiango agora tem que tentar fugir o mais rápido possível.
         Leonardo já muito irritado chama o chefe dos seguranças e adverte:
     - Pode me dizer o que está acontecendo aqui, vocês não consegue segurar um cão!
     - Não sabemos chefe, os cães de repente começaram a latir e farejar tudo acho que descobriram alguma coisa, deve estar bem escondida, não conseguimos achar. – Diz o Chefe dos seguranças tentando se explicar.
     - Como não sabem, pago vocês para quê, vamos, vasculhem tudo, quero uma resposta. - Diz Leonardo irritado.
     - Tudo bem chefe, vamos vasculhar tudo, traremos uma resposta. – Responde o chefe dos seguranças.
          Todos os seguranças saem correndo em busca de alguma coisa para tentar acalmar o chefe. Quando todos saem de perto Leonardo se posta bem ereto e em seus dedos começam a sair algumas faíscas de luzes azuis se projetando ao chão. Curiango ainda bem camuflado percebe que está em risco, mas espera que o Espírito Negro se manifeste isso não ocorre, Leonardo retorna caminhando lentamente para a reunião. Curiango agora corre contra o tempo, sabendo que o Espírito Negro o pressentiu não tem outra forma, tem que sair dali o mais rápido possível.
         Já juntos com os convidados Leonardo chama o Chefe da Máfia chinesa e conversa com ele reservado, Curiango observa com detalhe, alguns instantes depois da conversa com o Chinês os seus seguranças saem rapidamente, como se sumissem da reunião.
         Curiango quando percebe os dois seguranças chineses já estão parado em sua frente tentando encontra-lo junta a vegetação da ornamentação. Ainda sem ser descoberto Curiango prepara-se para lutar e fugir, para ser descoberto tão rápido só poderia estar lidando com Ninjas Negros.
         Se camuflando com a vegetação Curiango tenta escapar, mas quando percebe um dos Ninjas Negros o impede, a luta agora é inevitável, o Ninja joga-lhe um Shuriken tentando lhe acertar, mas sua tentativa é em vão. Curiango aplica-lhe um golpe o derrubando-o, sua fuga agora é questão de vida ou morte.
          Um zumbido toma conta do lugar, pelos barulhos alguns Tetsubishi foram arremessados em sua direção, sua camuflagem agora não é suficiente, sua habilidade tem que salva-lo desta arma mortal. Após alguns saltos desviando dos Tetsubishis Curiango consegue se desviar de todos. Curiango nunca tinha enfrentado Ninjas então tinha que usar de todas as suas habilidades além do conhecimento adquiridos com os treinamentos ministrados por Xuan, sua amiga guerreira.
         A luta parecia não chamar atenção dos convidados e seguranças, pois os lutadores eram silenciosos em suas artes, cada um com sua maneira de lutar. Cercado pelos Ninjas Negros Curiango agora tinha que provar que tinha coragem, em cada movimento, em cada golpe da Capoeira contra o Kung Fu.
        Curiango percebeu quando um dos Ninjas pegou seu arco e começou a ajeitar uma flecha possivelmente venenosa, sua preocupação com os movimentos dos dois Ninjas agora era importante, pois se vacilasse algum o acertava. O Ninja que o cercou de um lado cortava o vento de um lado para o outro com sua espada afiada reluzindo o brilho com o raio das luzes da mansão.
         O outro Ninja se preparava para acertá-lo com uma flecha que já estava apontado em sua direção, cercado e encostado na parede do muro já se sentia em situação perigosa, tinha que usar de suas habilidades ou contar com alguém naquele momento.
          O ataque dos Ninjas seria mortal e Curiango já esperava, a flecha atirada foi desviada quando Curiango se camuflou em uma árvore deixando a flecha cravada em seu tronco. A espada que vinha contando o ar com ferocidade foi contida quando do céu surgiu uma grande Harpia e a tomou da mão do Ninja carregando-a para o alto com suas garras.
         Agora a luta seria mano a mano como se diz na gíria popular, apesar de dois contra um o sorriso de Curiango era confortante, pois sabia que sua amiga Xuan estava por perto. A luta durou pouco, Curiango não deixou nem Xuan se aquecer quando derrubou os dois Ninjas com uma pernada só, depois lhe aplicou um golpe acertando-lhe em seguida com sua próprias armas com soníferos, aplicando-lhe os Tetsubishis que não lhe acertaram quando se defendia do primeiro ataque. Os Ninjas abatidos agora sua preocupação era tentar fugir antes que se complicasse mais.
         Seu pensamento foi rápido, mas seu corpo não conseguiu sair antes que fosse interceptado pelo Espírito Negro que o agarrou e o jogou no canto o deixando camuflado no chão cheio de poeira, isso fez com que o ataque não tivesse muito êxito. Enquanto a poeira baixava Espírito Negro sem muita visão aguardava um movimento de Curiango para atacar novamente. À Harpia no céu escuro sobrevoava suas cabeças olhando lá cima tudo acontecer.
         Espírito Negro percebendo que a grande águia poderia interceder no resultado da luta projetou um raio de luz azul tentando atingi-la. Em um voo rasante a Harpia se desfez de forma de águia e descendo do céu tentou com a forma agora de Xuan acertá-lo, mas não teve êxito. Enquanto isso Curiango tentou também atingi-lo, mas Espírito Negro se safou logo.
          Por alguns segundos tudo ficou em silêncio, como se o tempo tivesse parado naquele instante, mas era apenas para que os adversários se estudassem para tentar um novo ataque. Curiango agora de pé se ajeitava bem posicionado para lutar, Xuan chegava ao chão em sua forma de guerreira ajeitando seu bastão e conferindo o nunchaku tabém pronta para o combate.
         Espírito Negro olhou para os dois e esboçou um sorriso não muito convencional. Em um estalo com os dedos o vilão fez com que os dois Ninjas Negros se levantassem de seus sonos profundos, isso despertou mais atenção de Xuan e Curiango que se olharam como se combinassem um ataque em conjunto contra os três vilões.
          Enquanto Xuan travava uma luta mortal com os Ninjas Negros, Curiango tentava se desviar dos raios emitidos por Espírito Negro. Como sempre Espirito Negro tentava provoca-los falando alguma coisa de Duende Negro.
     - O chefão não veio, mandou apenas seus amigos, quando acabar com vocês vou procura-lo para terminar o serviço de um vez, vocês estão atrapalhando meus negócios e isso vai ter um preço muito alto, podem acreditar. – Diz Espírito Negro com deboche.
     - Não pense que as coisas serão tão fáceis, lutaremos até o fim. – Responde Curiango aceitando a provocação.
     - Suas malvadezas irão terminar antes que pense. – Provoca mais ainda Xuan.
     - Estão bem orientados, mas não vou deixar que me atrapalhe, hoje verão isso com mais exatidão, vou dominar tudo e todos na Capital, tenho o poder e dinheiro que preciso para fazer isso. – Diz Espírito Negro tentando intimidá-los.
     - Isso vai demorar ou nem vai acontecer, iremos impedi-lo, lutaremos até o fim se for preciso. – Diz Curiango com um olhar decisivo.
     - Então vamos logo, não estou aqui para conversar. – Diz Espírito Negro tentando acertar Curiango com um raio.
         Curiango desvia com agilidade do raio e procura se esconder camuflando-se em uma árvore. Com outro raio Espírito Negro destrói totalmente a árvore tentando atingi-lo. O barulho e a poeira da árvore se esfacelando provoca-lhe um sorriso como se tivesse atingido Curiango. Xuan que trava uma luta com os dois Ninjas Negros desvia o olhar preocupada com a situação de Curiango, mas percebe que em outro local seu corpo se camufla fora de perigo.
         A luta parece muito boa, mas Xuan chama atenção de Curiango para tentar acabar com o combate mais rápido possível. Xuan usa de sua força e seus poderes e em dois golpes fatais abate os dois Ninjas Negros deixando-os caídos no chão empoeirado do quintal da mansão. Curiango chama atenção de Espírito Negro enquanto Xuan em um golpe rápido o jogo em cima das plantas ornamentais da mansão, deixando-o com ira nos olhos.
         Enquanto Espírito Negro se levanta devagar batendo a poeira e restos de plantas de seu corpo, Xuan se transforma em uma Harpia e voa rumo ao céu.
Curiango aproveita e pula o muro da mansão ganhando a rua sem deixar vestígios. Os seguranças chegam juntamente com o Chefe da Máfia chinesa em Brasília e ficam observando a transformação que Leonardo sofreu durante aquela luta.
     - O que foi nunca me viram não, seus incompetentes, os deixaram fugir. – Diz Espírito Negro irritado.
     - Tentamos chefe, mas eles têm poderes, só o senhor para lutar com eles. – Diz o chefe dos seguranças.
     - Realmente amigo Leonardo, estes seus inimigos são poderosos, nem meus Ninjas Negros conseguiram lutar com eles. – Diz Chefe da Máfia chinesa em Brasília.
     - Não perdem por esperar, ainda vamos nos encontrar e dessa vez vou acabar com todos eles, inclusive com o mais poderoso deles. – Diz Espírito Negro com os olhos vermelhos aos presentes.
     - Tem outro ainda mais poderoso, como vai ser nossos negócios, não podemos ter muita interferência, temos que dominar logo os pontos estratégicos aqui em Brasília. – Diz o Chefe da Máfia chinesa em Brasília.
     - Não se preocupe vou cuidar de tudo, agora vocês devem guardar meu segredo, ou serão mortos antes que possam abrir a boca, entenderam. – Diz Espírito Negro a todos.
          Como uma ordem a ser cumprida com honra todo mundo aceita a cumplicidade com o Chefe ou Espírito Negro, entendendo que seus poderes poderão lhes trazer poder e riqueza.
     - Tenho como trazer mais alguns Ninjas Negros prontos para servi-lo, estaremos a vossa disposição, nossos negócios agora estão mais perecidos, temos que dominar tudo aqui. – Diz o Chefe da Máfia chinesa em Brasília.
     - Muito obrigado chefe, vamos precisar de todo mundo que quiser nos ajudar, esses metidos a heróis não ficarão sem respostas. – Diz Leonardo agora com um olhar para os grandes prédios de Águas Claras como se planejasse alguma coisa.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
      
 
 
Léo Pajeú
Enviado por Léo Pajeú em 19/07/2013
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

RASTROS DA ÁFRICA Léo Pajeú R$9,90
FUGA IMPROVÁVEL Léo Pajeú R$31,79
PASSOS PARA SE TORNAR UM ATLETA CAMPEÃO! Léo Pajeú R$29,89
2 CONTOS 1 Léo Pajeú R$31,38
CONTOS SOBRENATURAIS Léo Pajeú R$34,76
CINQUENTA SONETONS DE CINZA Léo Pajeú R$31,01
QUER EMAGRECER, É SÓ COMEÇAR? Léo Pajeú R$32,45
A CRIATURA 3D Léo Pajeú R$28,86
RASTROS DA ÁFRICA Léo Pajeú R$31,21
CORPO SECO E A LEGIÃO DE ZUMBIS Léo Pajeú R$36,26
QUATRO ESTAÇÕES Léo Pajeú R$30,47
AS AVENTURAS DE GALINZÉ Léo Pajeú R$29,15
ROSA, ROSINHA, NEM TUA, NEM MINHA Léo Pajeú R$27,58
2 CONTOS 2: A CASA AO LADO & OS HERDEIROS DAS... Léo Pajeú R$23,00
2 CONTOS III: O VISITANTE NOTURNO & O ÍNDIGO Léo Pajeú R$24,00
2 CONTOS: A Criatura 3D & Almas Rejeitadas (2... Léo Pajeú R$22,00
A DOR EM VERSOS Léo Pajeú R$15,27
AS AVENTURAS DE GALINZÉ - O GALINHO VALENTE: ... Léo Pajeú R$10,54
ATLETISMO COMO CONTEÚDO CURRICULAR NOS ANOS I... Léo Pajeú R$16,57
ATLETISMO COMO ESPORTE BASE NO DESENVOLVIMENT... Léo Pajeú R$17,01
BRINCADEIRAS SÓCIO-EDUCATIVAS COMO BASE DESPO... Léo Pajeú R$13,77
CINQUENTA SONETONS DE CINZA: SONETOS Léo Pajeú R$13,78
CONTOS DE LENDAS BRASILEIRAS Léo Pajeú R$18,29
CONTOS DE SUSPENSE - HISTÓRIAS DE APARIÇÕES E... Léo Pajeú R$15,66
CONTOS SOBRENATURAIS CIDADE... QUANDO A NOITE... Léo Pajeú R$15,96
CONTOS SOBRENATURAIS LOBISOMEM, LUA CHEIA, MI... Léo Pajeú R$12,37
CONTOS SOBRENATURAIS: LENDAS URBANAS Léo Pajeú R$15,96
CONTOS SOBRENATURAIS: PESADELOS...NÃO ACORDE,... Léo Pajeú R$12,33
CONTOS: UMA BRAÚNA... CONTOS E CAUSOS DO SERT... Léo Pajeú R$11,42
CONTRATEMPOS - POESIAS Léo Pajeú R$12,56
www.leopajeu.prosaeverso.net